foto_site_menor_cópia.gif
Política e informações da região com credibilidade
  • Jarbas Vieira

SPDM anuncia fechamento do Pronto Socorro do Hospital Regional


A crise na saúde do Estado tem um novo agravante. A direção da SPDM, organização social que administra o Hospital Regional de Araranguá, anunciou (no final da tarde de sexta-feira) que fechará o setor de emergência a partir da próxima segunda-feira (27). A SPDM alega que os atrasos nos repasses do governo, e o não reajuste do valor pactuado, geraram prejuízos ao longo do contrato que impedem o hospital de internar novos pacientes. Ainda de acordo com a nota, faltam recursos para o pagamento de fornecedores e funcionários e a medida se faz necessária para o atendimento dos pacientes já internados: 62 (sendo sete na UTI) até o momento da comunicação, sem contar as baixas e entradas do final de semana. No mesmo comunicado, a SPDM informa que tem 12 ofícios protocolados onde tais dificuldades foram alegadas.

Governo diz que cobrará atendimento

A Secretaria de Estado da Saúde informa que, em reunião emergencial realizada na manhã deste sábado (25), decidiu tomar todas as medidas legais cabíveis diante da decisão unilateral da Associação Paulista Para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM) - empresa responsável pela gestão do Hospital Regional de Araranguá - de contingenciar os atendimentos naquela Unidade. O secretário Dr. Vicente Caropreso, juntamente com o secretário-adjunto André Bazzo e a equipe de superintendentes, exigem o cumprimento contratual da prestação dos serviços, para evitar que cerca de 900 mil pessoas dos 47 municípios que dependem do Hospital fiquem desassistidas por uma decisão unilateral da SPDM. A Secretaria informa ainda que foi surpreendida com a decisão da Organização Social, uma vez que na última quinta-feira (23), o secretário de Saúde, Dr. Vicente Caropreso, e a equipe responsável pela gerência dos contratos com as Organizações Sociais, estiveram reunidos com o representante legal da SPDM, Dr. Mario Monteiro, e não houve notificação de abandono da prestação de serviço, conforme o contrato de gestão que eles possuem desde maio de 2013 com a Secretaria de Estado da Saúde.

Governo omisso, OS sem compromisso!

O quadro em si evidencia o quanto o Governo do Estado é omisso com relação à Saúde, entregando a gestão do hospital a mais uma organização paulista sem nenhum compromisso com a região. Primeiro foi o instituto SAS e agora a SPDM que no início até parecia ser diferente da antecessora, mas depois passou a adotar o mesmo modus operandi. Vale lembrar que quando a UNESC administrava o hospital os repasses eram minguados, não chegavam a casa de R$ 1 milhão. Depois que a universidade saiu e os paulistas vieram, o valor aumentou no mínimo quatro vezes e mesmo assim, pouca coisa a mais foi oferecida a população. Pelo contrário, as informações são de que o hospital está completamente sucateado.


Fabrica de Sonhos
Fabrica de Sonhos

press to zoom
construshop.jpg
construshop.jpg

press to zoom
Fabrica de Sonhos
Fabrica de Sonhos

press to zoom
1/2
Duzcara
Duzcara

press to zoom
Sombrio saneamento
Sombrio saneamento

press to zoom
Duzcara
Duzcara

press to zoom
1/2
Anuncio Câmara.jpg