foto_site_menor_cópia.gif
Política e informações da região com credibilidade
  • Jarbas Vieira

Municípios receberão “Programa Viver sem Violência” voltado às mulheres rurais


A Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Araranguá, por meio da gerência de planejamento regional e apoio a políticas públicas, promoveu na manhã desta segunda-feira, 18, no auditório da ADR, uma reunião preparatória para a vinda à Região do Extremo-Sul da unidade móvel do Programa Viver Sem Violência/ Mulheres e Cidadania. A reunião de trabalho foi coordenada pela gerente de planejamento regional e apoio a políticas públicas da ADR, Dione Helena Ramos Cesa, com a presença da coordenadora estadual da Mulher da Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habilitação, Aretusa Larroyd, que apresentou o programa aos convidados. Participaram do encontro representantes de diversos setores dos Municípios da Região que estarão envolvidos na ação entre os dias 6 a 11 de novembro, entre eles Araranguá, Balneário Arroio do Silva, Balneário Gaivota, Maracajá e Sombrio (que segundo dados do IBGE de 2015, foram os que mais tiveram casos de violência contra a mulher).

Escritório itinerante

Aretusa explica que o programa está ligado ao enfrentamento da violência contra a mulher que vive no campo. “O ônibus lilás, arrojado e adaptado, é na verdade um escritório itinerante, que chega nos locais distantes dos centros urbanos, oportunizando atendimento individualizado a estas mulheres da área rural”, comentou. Para Dione Cesa, esta será uma importante ação, por meio da parceria entre governos Federal, Estadual e Municipal, que envolverá profissionais de diversos setores, como setor social, de saúde, área jurídica, entre outras, além de parceiros como Polícia Civil, Sindicato Rural e Epagri, com intuito de levar conhecimento e informação nos seis dias em que percorrerá a Região. Aretusa destacou a preocupação com o crescente número de feminicídio (homicídios decorrentes de violência doméstica) no Estado, e salientou que o Programa permanente leva, por exemplo, conhecimento sobre a Lei nº 11.340, denominada Lei Maria da Penha. “O programa é um divisor de águas. Ele traz a oportunidade de acolhida, e não de julgamento”, concluiu a coordenadora Estadual da Mulher. Os serviços que serão oferecidos e os locais onde a unidade móvel estará estacionada serão definidos nos próximos dias pela comissão organizadora dos Municípios.


Sombrio saneamento
Sombrio saneamento

press to zoom
Fabrica de Sonhos
Fabrica de Sonhos

press to zoom
construshop.jpg
construshop.jpg

press to zoom
Sombrio saneamento
Sombrio saneamento

press to zoom
1/3
Ortobom
Ortobom

press to zoom
Fazae
Fazae

press to zoom
Ortobom
Ortobom

press to zoom
1/2
WhatsApp Image 2022-10-31 at 16.47.42.jpeg